Nutrólogo, nutricionista ou endocrinologista?

Saiba qual é a diferença entre cada um desses profissionais da área da saúde e descubra em quais situações você pode procurá-los.

Você saberia escolher quando ir ao nutrólogo, nutricionista ou endocrinologista? Cada um desempenha um papel importante na área da saúde. Conheça cada uma das atividades profissionais e saiba em quais situações procurar cada um deles.

 

NUTRÓLOGO
O nutrólogo é um profissional médico especialista em nutrologia. Essa especialidade avalia os benefícios e malefícios causados pela ingestão dos nutrientes, a fim de auxiliar na manutenção da saúde e na redução de riscos de doenças. O médico nutrólogo também faz diagnóstico, prevenção e tratamento de doenças relacionadas à falta ou excesso desses nutrientes. Ele pode diagnosticar e tratar, por exemplo, obesidade, hipertensão arterial e diabetes. Além disso, pode identificar possíveis erros alimentares e de hábitos de vida, auxiliando em mudanças importantes em benefício da saúde.
NUTRICIONISTA

O nutricionista é um profissional de saúde graduado em nutrição. Ele faz orientações nutricionais e dietéticas, além de indicar suplementações, quando necessário. Com isso, esse profissional pode auxiliar na prevenção de doenças, ajudar a promover a qualidade de vida, a segurança alimentar e contribuir para a prática da alimentação saudável. Diferente do nutrólogo e do endocrinologista, o nutricionista não é um profissional médico, por isso, não prescreve medicamentos.

 

ENDOCRINOLOGISTA

A endocrinologia é uma especialidade médica que diagnostica e trata as doenças relacionadas às alterações no metabolismo e aos distúrbios hormonais. O médico endocrinologista pode solicitar exames e prescrever medicamentos, assim com o nutrólogo. Quando necessário, o trabalho desse profissional pode ser complementado pelo trabalho do nutricionista. O endocrinologista trata, por exemplo, obesidade, excesso de pelos, distúrbios da puberdade, distúrbios da menstruação, tireoide, diabetes, colesterol, andropausa, osteoporose, colesterol, doenças da hipófise e reposição hormonal da menopausa.

 

Por: Central Nacional Unimed/Viver Bem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *