É importante estar ciente de que as crianças também podem ter colesterol alto. Na verdade, estudos mostraram a evidência de que a aterosclerose (a placa que adere nas paredes da artéria) realmente começa durante a infância. Isto acontece especialmente quando um dos ou os dois pais têm histórico de colesterol alto ou doenças cardíacas.
De acordo com a Academia Americana de Pediatria (Pediatric Nutrition Handbook 5ª edição, 2004), as crianças e os adolescentes devem verificar seu colesterol se tiverem (um dos) pais ou avós que tiveram derrame ou ataque cardíaco, angiograma coronário positivo ou doença vascular periférica antes dos 55 anos.
Toda criança com mais de 2 anos que tenha (um dos) pais com colesterol total de 240 mg/dl ou acima devem fazer um teste de colesterol total aleatório (isto significa que devem fazer o teste sem jejum, a qualquer hora do dia). Se o teste de colesterol total aleatório estiver acima de 170 mg/dl, a criança deve fazer exames de sangue em 2 semanas. O tratamento e a frequência da repetição do teste depende dos resultados iniciais de teste, mas todas as crianças nesta situação devem fazer o teste de colesterol no mínimo a cada 5 anos.
Níveis de colesterol em crianças
Os níveis de colesterol infantil foram estabelecidos há razoavelmente pouco tempo. Especialistas acreditam atualmente que o colesterol alto em crianças pode ser comum. O quadro a seguir indica quando os níveis de colesterol são considerados altos em crianças:
Colesterol total (mg/dl)
Colesterol LDL (mg/dl)
Aceitável
menos de 170
menos de 110
Limite
170-199
110-129
Alto
200 ou acima
130 ou acima
É preciso mais de uma medida para categorizar o nível de colesterol como limite ou alto para uma criança. Se uma criança tem colesterol alto, o médico elimina outras causas como doenças na tireoide, no fígado ou no rim. Se não encontrar nenhuma causa oculta, então, como em adultos, fazer mudanças no estilo de vida é o foco. Esta é uma primeira etapa importante, mesmo se outros tratamentos forem necessários.
Quando uma criança com colesterol alto faz mudanças no seu estilo de vida, reduzem o risco de terem colesterol alto e doenças cardíacas na vida adulta.
A dieta é o foco
Até seu filho ter 2 anos, a Associação Americana de Cardiologia e a Academia Americana de Pediatria recomendam que sua dieta seja primariamente:
  • Mais frutas e vegetais
  • Mais alimentos integrais
  • Laticínios desnatados ou com pouca gordura
  • Feijões, peixes, carnes bovinas magras e aves
  • As crianças abaixo de 2 anos também devem ingerir pequenas quantidades de gordura saturada, gordura trans. e colesterol.
  • Para se certificar que o seu filho tem uma dieta saudável, você deve:
  • Reduzir a adição de açúcar, incluindo bebidas e sucos adoçados com açúcar.
  • Reduzir sua ingestão de sal, incluindo sal de alimentos processados.
  • Ao cozinhar, utilize óleo de canola, soja, milho ou açafrão, ou outros óleos insaturados em vez de gorduras sólidas.
  • Utilize os tamanhos recomendados de porção encontrados nos rótulos dos alimentos.
  • Sirva vegetais e frutas frescos, congelados ou enlatados em todas as refeições.
  • Limite os molhos com muitas calorias, como molhos Alfredo, de creme, de queijo e holandês.
  • Sirva peixe regularmente.
  • Remova a pele das aves.
  • Leia os rótulos dos pães e cereais e certifique-se de que o “grão integral” seja o primeiro ingrediente. Evite os produtos feitos com farinha refinada.
  • De vez em quando, sirva legumes (feijões) e tofu em vez de carne.
  • Certifique-se de que o seu filho tenha pelo menos 60 minutos de brincadeiras ou exercícios moderadas(os) a vigorosas(os) todos os dias.
Exercícios
O exercício regular é importante para as crianças e ajuda a melhorar os níveis de colesterol. As famílias devem tentar incorporar o exercício à sua vida cotidiana. Andar, andar de bicicleta, correr e nadar são apenas algumas atividades que as famílias podem fazer juntas.
Medicação
Em geral, a mudança no estilo de vida será experimentada por, pelo menos, de 6 a 12 meses antes de a medicação ser considerada para a criança. Os níveis de colesterol do seu filho podem ser monitorados de perto durante este tempo. Se seu nível de colesterol LDL permanecer alto, existir histórico familiar de doenças cardíacas e seu filho tem mais de 10 anos, a medicação pode ser necessária juntamente com as mudanças no estilo de vida.
Fonte: cuidadosmil